“Prefiro acreditar que é ruindade mesmo”, presidente do Andradina sobre investigação da FPF

Da redação , em22/06/2022
Foto: reprodução/FPF

Foto: reprodução/FPF

A Federação Paulista de Futebol (FPF) prepara um ofício à polícia civil de São Paulo para investigação de suspeita de manipulação de resultados na quarta divisão estadual, segundo informa o portal Metropoles.

Há uma grande desconfiança e indícios de que na partida disputada entre Catanduva e Andradina, que teve triunfo da equipe de Catanduva por 7 x 1, atletas do Andradina tenham atuado de maneira a prejudicar o próprio clube.

Além da partida entre Catanduva e Andradina, outros dois jogos também estão sendo investigados. Trata-se de Fernandópolis 4 x 2 Andradina e Independente 2 x 2 Capivariano, pelo Paulista sub-20.

Nessa segunda-feira (20/6), o presidente do Andradina, Nei Giron, o técnico Rogério Ferreira, e membros da equipe de arbitragem, que alegaram estranhamento no comportamentos dos atletas em certos lances do jogo, foram ouvidos pela delegada Margarete Barreto, que é membro da Comissão de Integridade e da Corregedoria de Arbitragem da FPF e prepara um relatório para encaminhar junto com os ofícios à polícia civil e ao TJD.

Segundo o presidente do Andradina, está havendo um certo exagero com a situação. Vou ser sincero, estou vendo um certo exagero. “No outro dia do que aconteceu em Catanduva (derrota por 7 x 1), teve um jogo que foi 8 x 1 (União Mogi x Atlético Mogi). O jogo estava 2 x 0 e o juíz deu um pênalti para nós, mas não expulsou o goleiro que derrubou nosso atacante. Fizemos 2 x 1 e o jogo ficou super equilibrado até metade do segundo tempo.” afirmou Nei Giron ao ge.

Ao ser questionado o motivo de um atleta ter tentado fazer um gol contra de calcanhar, Nei disse que prefere acreditar que “seja ruindade”. “Prefiro acreditar que é ruindade mesmo, um desânimo. Não sei. O Atlético Mogi perdeu de oito e ninguém está falando nada, o Brasil perdeu de sete da Alemanha e ninguém falou nada.”

Compartilhar:
Facebook Tweet

Veja Mais