5 mitos sobre a matemática

Da redação com Assessoria de Imprensa, em05/05/2022
Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

No próximo dia 6, é comemorado o Dia Nacional da Matemática. Criada em 2013, a data homenageia o matemático Julio Cesar de Melo Souza - conhecido como Malba Tahan - que nasceu no dia da celebração e publicou 120 livros - 51 deles dedicados à Matemática. Entre suas obras, a mais famosa - com mais de 1 milhão de vendas no Brasil-, “O homem que calculava”, é uma mistura de contos árabes e Matemática e foi traduzida para vários idiomas.
 

A Matemática, além de ser essencial no dia a dia, costuma ser uma das matérias mais cobradas na prova do Enem, nos vestibulares e nos concursos públicos, independentemente do curso universitário ou carreira almejados. Sendo assim, os candidatos buscam compreender os conteúdos da disciplina para obter excelentes resultados, até mesmo aqueles que não têm muita afinidade com a área de Exatas.

 

Com quase 3 milhões de inscritos em seu canal do Youtube, o professor Ferretto é o maior influenciador de Matemática da América Latina e criador da plataforma de estudos Professor Ferretto, que é 100% online e tem foco na preparação para o Enem e vestibulares. "A Matemática é uma disciplina que exige um pouco mais do aluno, pois lida o tempo todo com o raciocínio e a lógica, e até mesmo com a criatividade para a resolução de problemas. Embora envolva fórmulas e cálculos, é um grande erro achar que essa disciplina pode ser estudada e absorvida em forma de ‘decoreba’”, comenta Ferretto.

 

O professor e influenciador diz ainda que é natural que para alguns o aprendizado seja mais difícil, e outros tenha mais facilidade. Mas ter menos afinidade não significa que aquele aluno não será capaz de aprender. “Ter uma boa relação com a Matemática faz o estudante deixar de ter medo da matéria. Nunca é tarde para aprender”, avalia Ferretto.

 

Ele cita como exemplo casos de alunos da plataforma de estudos, ou que acessam seu canal no Youtube. “Muitos no início tinham dificuldade, e agora comentam em meus vídeos que hoje conseguem ver a Matemática de outra forma. Para alguns, inclusive, essa relação mudou tanto que passou a ser a disciplina que mais gostam! Isso prova que não se pode desistir nunca, é preciso buscar o conhecimento e aquilo que funciona para cada estudante, e ver que é possível, sim, aprender”, diz.

Pensando nisso, Ferretto listou alguns mitos sobre a disciplina:

É possível aprender Matemática apenas utilizando calculadora?

MITO - A Matemática envolve o raciocínio lógico, e muitas contas não são possíveis aprender usando uma calculadora. “É fundamental exercitar o cérebro para entender o cálculo que está sendo feito. Muitas vezes a calculadora não é necessária, e é utilizada apenas em casos que demandam agilidade”, avalia.

 

Para aprender a Matemática, é preciso saber somente as quatro operações?


MITO - As quatro operações - adição, subtração, divisão e multiplicação- representam o mais básico da disciplina. “No decorrer dos estudos, o aluno precisa evoluir e aprender até o nível avançado para conseguir, por exemplo, prestar uma prova e ter resultados positivos”, exemplifica o professor.

Só se aprende matemática “decorando” fórmulas?

MITO - Para chegar ao resultado de uma conta, é necessário praticar exercícios, pois decorar uma fórmula não faz ninguém aprender. “É necessário compreender quais foram os erros e acertos, durante todo o processo da conta, desde o início até chegar ao resultado final”, esclarece Ferretto.

 

É possível passar no Vestibular sem resolver cálculos da Matemática?
 

MIT- A disciplina é importante tanto para Exatas como para Humanas, quando se presta a prova do Enem ou o Vestibular. “Isso porque é necessário que seja cumprida toda a parte de conhecimentos gerais, e a Matemática está inserida”, diz.

 

As pessoas orientais são as “melhores” em Matemática?

MIT- A afinidade maior ou menor nada tem a ver com a ascendência do aluno. “O que acontece é que cada país tem sua forma de ensinar. No Japão e na China, por exemplo, a forma diferenciada de educar contribui bastante para o aprendizado do aluno. Mas isso não quer dizer que os orientais serão sempre os “melhores”. Compreender e evoluir nos conhecimentos em Matemática depende do esforço e da dedicação constante de cada estudante, seja de onde ele for”, finaliza Ferretto.

Compartilhar:
Facebook Tweet

Veja Mais