Força Tarefa suspende atividades de ferro velho irregular em Andradina

Da redação com Assessoria de Imprensa, em28/04/2022
Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

Em uma ação continuada uma força tarefa formada pelas polícias Civil, Militar, Corpo de Bombeiros, Endemias, Fiscalização Municipal, Divisão de Segurança Pública e a Secretaria da Fazenda no Estado de São Paulo em parceria com a Prefeitura de Andradina lacrou um ferro velho que havia sido notificado a tomar providências em relação a seu funcionamento.

Na primeira abordagem foram identificadas a falta de alvará e licença para funcionamento além de riscos a saúde pública com criadouros de insetos vetores de doenças. “Foi dado um prazo para que o estabelecimento tomasse as providências e adequações necessárias para o seu funcionamento o que não ocorreu. Agora, fechado, ele tem mais um pequeno prazo para regularizar sua situação”, declarou a chefe do setor de fiscalização da prefeitura, Fernanda Luscena.

Na primeira fiscalização ao local foram encontrados um caminhão em situação irregular, e uma moto na qual havia um mandato de busca e apreensão além de baterias de veículos automotores “com carga”.

A operação continua e vai percorrer todos os estabelecimentos deste tipo em Andradina. Segundo o Diretor de Segurança Pública, André Luis de Lima Augusto, a fiscalização tem como objetivo principal combater o comércio ilegal, principalmente de materiais metálicos, em ferros velhos. “A procura principal é por fios de cobre e outras composições de materiais com comercialização proibida sem a declaração de origem. Até o momento foi realizada a prisão de um traficante que era receptador de fios de cobre furtados, onde foram localizados 30 quilos de cobre”, explicou.

Lima Augusto afirmou que a cidade vive uma onda de furtos de materiais reciclados, em especial o cobre de fiações elétricas em praças e locais públicos e particulares. “Vamos fechar o cerco contra receptação de fios de cobre e outros materiais. Estamos dando sequência a fiscalização para que se reduza as ocorrências e iniba a prática da receptação que tanto prejudica a população”, afirmou.

Compartilhar:
Facebook Tweet

Veja Mais