Prefeitura de Andradina anuncia que vai gerar a própria energia

Da redação, em27/04/2021
Foto: Secom/Andradina

Foto: Secom/Andradina

Ganhe R$ 450 em cápsulas de café na compra da sua máquina Nespresso

A Prefeitura de Andradina anunciou, ontem, que está bem perto de aproveitar o seu enorme potencial solar. Nesta quinta-feira (22), o prefeito de Andradina recebeu o primeiro estudo completo de eficiência energética que vai permitir que toda a demanda do município seja convertida em produção de energia solar.

Segundo informa a Folha da Região de Araçatuba, a ideia é a de que cada secretaria apresente seu consumo e um projeto de suficiência por meio da energia solar. Ainda não há prazo para início das instalações das primeiras placas. Também não há previsão do investimento total necessário.

O primeiro estudo apresentado foi o da Secretaria de Educação, que foi representada pela secretária da pasta Estela Goda, Denise Gonçalves, Coordenadora Geral do Ensino Fundamental e pelo subsecretário, Geraldo Pilla, que foi o engenheiro responsável pelo estudo que contempla todas as escolas, creches, cozinha piloto e setores ligados a educação.

Outros estudos estão sendo realizados no eixo da secretaria da Fazenda, Planejamento, Gestão Fiscal, Controladoria e Transparência, do secretário Norival Nunes e da secretaria de Governo, Assuntos Parlamentares e Institucionais, do secretário Ernesto Júnior.

Com base neste estudo é possível saber o quanto de energia é necessário produzir para atender toda a educação. Outros estudos estão sendo realizados para averiguar o quando é preciso para tornar a cidade autossuficiente em energia elétrica. Mário Celso voltou a anunciou que Andradina vai gerar sua própria energia elétrica e se livrar de uma conta que pode ultrapassar R$ 295 mil por mês e mais de R$ 3,5 milhões por ano.

Para que isso aconteça, a proposta é que sejam instaladas placas solares em uma usina municipal para que o excedente da produção seja utilizado para pagar a conta de todos os prédios públicos.

 Outros estudos estão sendo analisados como por exemplo o Hospital Municipal de Andradina que deverá nascer já auto suficiente em energia elétrica com baterias de placas solares instaladas no telhado do prédio. Para a iluminação pública a saída poderá ser lâmpadas acopladas em placas geradoras, que além de serem auto suficientes, não desobrigar o andradinense do paga[1]mento da CIP (Contribuição de Iluminação Pública), que hoje custa mais de R$ 14,00/mês ao contribuinte.

Com a energia gerada por meio desse sistema de baixo custo de operação e manutenção, a expectativa é que além da economia por ano dos cofres públicos municipais, outros atendi[1]mentos sejam melhorados, como a instalação de ar condicionado a todas as salas de aula de Andradina. Com o valor economizado na conta de energia, a usina solar poderá ser paga em poucos anos. “Essa é a matriz energética que mais cresce mundialmente”, disse Lopes.

 

Compartilhar:
Facebook Tweet

Veja Mais