Empresas e hospitais sofrem ataque de hackers

Fonte: Band, em12/05/2017

Foto: Divulgação

Hackers invadiram os computadores de companhias pelo mundo afora - incluindo a Telefônica, que tem operações no Brasil - nesta sexta-feira e exigem resgate para liberarem os sistemas de computação. 

O ataque teria sido se iniciado na China e ocorrências foram registradas na Espanha, Rússia, Japão, Turquia, Filipinas, Alemanha e no Reino Unido - onde o alvo foram hospitais públicos. 

"Houve um alerta relacionado a um ataque maciço de tipo ransomware contra várias organizações e que está afetando seus sistemas Windows", disse o Centro Nacional de Criptologia da Espanha, adicionando que um grande número de empresas foram afetadas. A entidade não identificou quais as empresas sofreram ataque.

O Serviço Nacional de Saúde (NHS) do Reino Unido também informou ter sido vítima do ataque. Vários hospitais do país afirmaram que os vírus causaram o cancelamento de consultas e atendimentos. 

Resgate para liberar computador

O ransomware é um pequeno programa que se oculta em um arquivo de aparência inofensiva. Uma vez infectado, o usuário não pode ter acesso a seus arquivos enquanto não pagar um resgate. No caso do ataque de hoje, o resgate começaria em US$ 300 (R$ 940) e deveria ser pago em moedas virtuais - as "bitcoins" - que são mais difíceis de rastrear.

No Brasil, onde a Telefônica é dona da marca Vivo, as equipes estão sem trabalhar desde 9h. Funcionários da empresa disseram à Rádio Bandeirantes que um orientação enviada por e-mail obrigou a desligar os computadores. Os prédios da Chucri Zaidan e da Luis Carlos Berrini, em São Paulo, e um terceiro, na Barra da Tijuca (Rio de Janeiro) estão com as atividades suspensas. Não há previsão para que o sistema seja retomado.

Clientes não foram afetados

Por meio de nota, a Telefónica confirma o ataque cibernético, mas garante que o problema não atinge os serviços de internet, telefone fixo ou celulares. 

"As notícias [sobre o ataque] foram exageradas e nossos colegas estão trabalhando no problema nesse momento", disse Chema Alonso, diretor do setor de dados da Telefónica e especialista em segurança cibernética. 

A unidade espanhola da Vodafone, a companhia de energia elétrica Iberdrola e a Gas Natural pediram para suas equipes desligarem computadores como medidas de prevenção, disseram porta-vozes. 

"Por enquanto nós não fomos afetados, mas estamos tomando medidas de precaução como cortar o acesso à Internet dos funcionários", disse o porta-voz da Vodafone.

Compartilhar:

Veja Mais