Cartório de Andradina começa em outubro cadastro para urna biométrica

Fonte: Da redação, em29/07/2015

Foto: Reprodução

O Cartório Eleitoral da 9ª zona, de Andradina, inicia no mês de outubro o cadastramento dos eleitores nas urnas eletrônicas com biometria. A informação foi confirmada pela chefe substituta do cartório eleitoral, Maira Cristina Vendramin. Os eleitores dos quatro municípios de jurisdição da 9ª Zona - Andradina - Castilho - Murutinga do Sul e Nova Independência, serão convocados a comparecerem ao cartório para a coleta das digitais.  As informações são do Jornal O Liberal Regional. 

Maira Cristina não soube informar se as urnas já serão utilizadas na eleição de 2016 quando os eleitores votarão para prefeito e vereador. "Os kits já chegaram. Agora o Tribunal Regional Eleitoral irá treinar os serventuários que irão ser mobilizados para a coleta das digitais", informou a chefe do cartório.

O equipamento é parecido com a urna eletrônica comum, mas tem como diferencial um dispositivo que lê as impressões digitais da pessoa para evitar fraudes na identificação.

Identificação digital
Em 2008, o TSE iniciou um projeto piloto que utilizava o sistema biométrico de identificação dos eleitores. O sistema identifica as impressões digitais de cada um, o que afastaria a possibilidade de fraude durante a votação. Pela biometria, é o próprio eleitor quem libera a urna eletrônica para votar. "Não há duas digitais iguais no mundo. Esse é um dispositivo altamente preciso e confiável para a identidade do cidadão, tornando qualquer tipo de documento de identificação secundário", afirmou Maira. Segundo o Tribunal Superior Eleitoral (TSE), o objetivo é alcançar 100% do eleitorado até 2018.

Nas seções eleitorais que utilizarem a biometria, o eleitor deverá posicionar o dedo sobre o sensor biométrico, para identificação - sendo dispensada a assinatura do eleitor na folha de votação.

Na hipótese de problemas com o sistema biométrico, o mesário deverá verificar a foto constante no caderno de votação para só então autorizar o registro do voto.

SEGURANÇA
Segundo o TSE, testes já foram realizados por uma equipe especializada e nem mesmo hackers conseguiram invadir ou danificar o sistema. O software da urna é composto de uma versão do sistema Linux, criada por uma empresa autorizada.

Compartilhar:

Veja Mais