Dupla pega 20 anos de prisão por matar diretor de esportes

Fonte: Da redação , em18/05/2015

Carlos Antonio Rizzo foi encontrado morto em um canavial três dias depois de ter desaparecido. Foto: Divulgação/Prefeitura

LEITOR ANDRAVIRTUAL TEM DESCONTO ESPECIAL: O milagre da manhã com super desconto!

A Justiça de Mirandópolis condenou a 20 anos de prisão os dois acusados de assassinar o diretor do Departamento de Esportes do município, Carlos Antonio Rizzo, de 51 anos, em outubro do ano passado . Diego Rodrigo Antunes da Costa e Alex Louveira Araújo foram presos quando tentavam fugir para o Paraguai com o carro da vítima e confessaram o crime. Cabe recurso. As informações são da Folha da Região de Araçatuba.

A audiência de instrução e julgamento foi realizada na tarde de quinta-feira no Fórum local e a sentença foi proferida pelo juiz Rafael Salomão Oliveira. A dupla não terá direito de recorrer em liberdade. Rizzo desapareceu na noite de 3 de outubro de 2014 e o corpo dele foi encontrado três dias depois em um canavial entre Mirandópolis e Lavínia. Os réus confessaram que pretendiam vender o carro da vítima no Paraguai e foram presos com o veículo em Ponta Porã (MS), na noite anterior ao encontro do corpo.

Consta na sentença que o carro era conduzido por Costa, que conhecia Rizzo e trazia Araújo como passageiro. O crime teria sido premeditado, pois a Justiça encontrou conversa pelo Facebook entre o acusado e a vítima com data de 24 de setembro, tendo como conteúdo o veículo da vítima e o seu valor de mercado, o que revelaria o interesse do condenado pelo automóvel.

Além disso, Costa comunicou à família que, naquela noite, não retornaria para casa e dormiria na residência da avó. Como não apareceu, a companheira dele registrou boletim de ocorrência, comunicando seu desaparecimento.

FACEBOOK

Em depoimento, o acusado disse que convidou o comparsa para a prática do crime, pois precisava de dinheiro, e a proposta foi aceita imediatamente. Ele, então, entrou em contato com Rizzo por meio do Facebook e pediu que levasse o amigo com o carro até Lavínia.

Ele relatou que os três seguiam com o carro, tendo a vítima como condutora, Costa de passageiro e Araújo no banco traseiro.

Durante o trajeto, a dupla pediu para Rizzo parar o veículo e, nesse momento, ele foi imobilizado e amarrado com uma corda. Sem defesa, Rizzo foi agredido com chutes, socos e até prisões na cabeça, este dados por Costa. Ele teria, inclusive, suplicado para não ser morto, dizendo que daria dinheiro a eles, mas não foi atendido.

A vítima foi abandonada no canavial, agonizando, e a dupla fugiu com o carro. Antes de seguir com destino ao Paraguai, os dois pararam em um motel, onde tomaram banho e lavaram as roupas com manchas de sangue.

O recibo de pagamento do motel foi apreendido pela Justiça e anexado aos autos, junto com imagens de entrada e saída do Toyota captadas pelas câmeras de segurança do estabelecimento.

Costa foi condenado a 25 anos de prisão, mas teve a pena reduzida em um sexto por ser menor de 21 anos. A pena dele é de 20 anos e 10 meses de reclusão em regime inicial fechado. Pela participação no crime, Araújo foi condenado a 24 anos de reclusão, pena reduzida para 20 anos pela menoridade.

Compartilhar:

Veja Mais