Comerciante é acusado de estuprar homem com Down

Fonte: Da redação, em07/03/2015

A Polícia Civil de Itapura (a 160 km de Araçatuba), município com pouco mais de 4,3 mil habitantes, prendeu na manhã desta segunda-feira (10) um comerciante de 55 anos acusado de estuprar um morador na cidade, de 30 anos, portador de síndrome de Down. O crime teria ocorrido em julho, no estabelecimento comercial do acusado, que nega o abuso. Ele também será investigado por peculato, pois na casa dele foi encontrado óleo diesel que pode ter sido desviado da Prefeitura. As informações são da Folha da Região de Araçatuba.

Segundo o que foi apurado pela reportagem, o crime teria ocorrido no dia 25 de julho, quando a vítima tinha 29 anos. Passado algum tempo, os familiares perceberam alteração no comportamento da vítima, que acabou contando, com palavras e gestos, que tinha sido abusada sexualmente pelo comerciante. Após o crime, o acusado teria oferecido uma Coca-Cola para o rapaz.

O delegado Miguel Gomes da Rocha Neto, responsável pela investigação, informou que um inquérito foi instaurado após os familiares da vítima procurarem a polícia para denunciar o caso. Exame de corpo de delito feito no rapaz pelo IML (Instituto Médico Legal) confirmou que ele foi abusado sexualmente. Com a emissão do laudo, a polícia representou pelo pedido de prisão preventiva na Justiça de Ilha Solteira, a qual foi decretada na última sexta-feira.

PECULATO
O comerciante foi preso pela manhã na casa dele, em operação conjunta com a Polícia Militar. Durante o cumprimento do mandado, foram realizadas buscas no imóvel e encontrados cinco galões de 20 litros de óleo diesel, totalizando aproximadamente 100 litros.

Rocha Neto explicou que será instaurado inquérito à parte para investigar suposto crime de peculato, pois há suspeita de que o material tenha sido desviado da Prefeitura. O objetivo da investigação é apurar quem forneceu o combustível para o acusado. A pena para esse tipo de crime varia de dois a 12 anos de prisão. Já para o crime de estupro de vulnerável, devido a vítima ser portadora de síndrome de Down, pode chegar a 15 anos de prisão.

INOCENTE
Ouvido na delegacia de Itapura, o comerciante negou que tenha abusado sexualmente da vítima e alegou que o óleo diesel foi retirado de uma caminhonete dele. O acusado foi encaminhado para a cadeia de Pereira Barreto.

A reportagem tentou contato com o advogado responsável pela defesa, mas ele não foi localizado.

Compartilhar:

Veja Mais