Liminar manda exonerar aliado político de prefeito de Lavínia

Fonte: Da redação, em07/03/2015

LEITOR ANDRAVIRTUAL TEM DESCONTO ESPECIAL: 10% OFF na sua primeira compra na Icabelos! (Clique e use no carrinho cupom BOASVINDAS10 - até 31/12)

Liminar da Justiça determina a exoneração do diretor executivo da Prefeitura de Lavínia, Salvador Matsunaka, por haver indícios de que sua nomeação ao cargo tenha sido uma manobra para burlar o impedimento de sua candidatura nas eleições de 2012 e torná-lo o “prefeito de fato” do município. Com informações são da Folha da Região de Araçatuba.

O entendimento do juiz da comarca de Mirandópolis, Renato Hasegawa Lousano, se deu com base em ação popular movida por Carlos Batista de Lima, o Carlão do PT, presidente do diretório do partido em Lavínia.

A ação do dirigente petista pedia a inconstitucionalidade da lei que criou a função, bem como a condenação de Matsunaka por improbidade administrativa. No entanto, esta última solicitação não foi acatada pela Justiça. Cabe recurso.

 

FICHA LIMPA

Matsunaka foi candidato a prefeito no último pleito municipal até a antevéspera da votação. Ele desistiu da disputa, pois a Justiça Eleitoral local e o TRE-SP (Tribunal Regional Eleitoral do Estado de São Paulo) não aceitaram seu registro devido à Lei da Ficha Limpa.

 

O motivo da impugnação foi a rejeição pelo TCE-SP (Tribunal de Contas do Estado de São Paulo) das contas relativas a um convênio com a CDHU (Companhia de Desenvolvimento Habitacional e Urbano) em 2007, quando Matsunaka era prefeito.

OUTRO LADO

O prefeito contou que nomeou Matsunaka pela experiência que ele teve à frente da administração da cidade por três mandatos (1993-1996, 2001-2004 e 2005-2008), e não para exercer o cargo de “prefeito de fato”.

“Uma coisa não tem a ver com a outra. Quando o chamei foi pensando na cidade, para corrigir os erros da administração anterior”, justificou Yamashita.

Compartilhar:

Veja Mais