ANTT diz que velocidade de trem causou tragédia com oito mortes em Rio Preto

Fonte: Da redação, em25/06/2014

Fotos aéreas mostram dimensão do acidente que matou 8 pessoas (Foto: Polícia Militar de Rio Preto)

LEITOR ANDRAVIRTUAL TEM DESCONTO ESPECIAL: O milagre da manhã com super desconto!

A velocidade do trem que descarrilou em São José do Rio Preto (SP) no fim do ano passado foi a principal causadora da tragédia.  Esta é a definição do laudo da Agência Nacional de Transportes Terrestres, entregue à Polícia Federal. O coordenador de fiscalização da ANTT, Nelson Miguel Marinho, prestou depoimento nesta terça-feira (24). As informações são do portal G1/TV Tem.


O acidente matou oito pessoas e feriu outras cinco em novembro de 2013, quando vagões carregados com soja descarrilaram e invadiram três casas no bairro Jardim Conceição. Entre os mortos, havia duas crianças. Dias depois do ocorrido, policiais federais e técnicos do Instituto de Criminalística realizaram testes de resistência na linha férrea e não encontraram nada. O resultado, problema de infraestrutura no local, é o mesmo do laudo da América Latina Logística (ALL), divulgado com exclusividade pela reportagem da TV TEM.


Segundo o delegado que cuida do inquérito, o fiscal da ANTT deixou claro que as depressões no solo, provocadas por infiltrações de água de chuva e esgoto, não causariam o acidente se a composição estivesse na velocidade obrigatória do trecho, que é de 25 quilômetros por hora. Os laudos da perícia indicaram que o trem estava a 44 quilômetros por hora no momento do acidente.


O inquérito federal segue e mais pessoas serão ouvidas, inclusive o maquinista. Em nota, a América Latina Logística informou que até o momento não teve conhecimento do depoimento referido e afirma que a composição transitava dentro dos limites de velocidade do trecho.


Em relação aos problemas levantados pela própria ANTT durante inspeção no trecho, a concessionária disse que todos foram sanados dentro do prazo estabelecido e que no local do acidente nenhum apontamento foi indicado.


Relembre o caso

Nove composições carregadas com milho descarrilaram por volta das 17h do domingo, 24 de novembro, no Jardim Conceição, em Rio Preto, atingindo duas casas e afetando outras duas. Foram confirmadas oito mortes, entre os mortos duas crianças (de 2 e 6 anos), quatro mulheres e dois homens. Outras sete pessoas foram socorridas pelas equipes de resgate do Corpo de Bombeiros e do Serviço de Atendimento Médico de Urgência (Samu) e encaminhadas para o Hospital de Base e a Santa Casa da cidade.


Em nota ao G1, na época, a ALL disse que  "a concessionária responsável pela operação no trecho lamenta profundamente a fatalidade ocorrida e se solidariza às famílias e vitimas, a quem dará todo suporte e apoio. Por meio do centro que controla remotamente, via satélite, toda a operação, a empresa confirmou que a composição transitava dentro dos limites de velocidade do trecho. As causas do acidente serão investigadas por meio de sindicância".

Compartilhar:

Veja Mais