Araçatubense está entre as 11 vítimas de tragédia em MS

Fonte: Da redação, em18/12/2013

Pereira vivia aproximadamente há um ano em Três Lagoas e era dono de um box no Shopping Popular. Foto: Divulgação

LEITOR ANDRAVIRTUAL TEM DESCONTO ESPECIAL: 10% OFF na sua primeira compra na Icabelos! (Clique e use no carrinho cupom BOASVINDAS10 - até 31/12)

O araçatubense Douglas Alexandre Pereira, de 28 anos, é uma das 11 vítimas fatais do acidente entre uma van e um caminhão que aconteceu na madrugada de terça-feira (17) no quilômetro 148 da BR-267, na região de Nova Andradina (MS). Pereira vivia há aproximadamente um ano em Três Lagoas (MS) e era dono de um box no Shopping Popular, onde também trabalhavam os demais passageiros da van.  As informações são da Folha da Região de Araçatuba. 


Entre os mortos, estão o motorista do caminhão, o motorista da van e as nove pessoas que eram transportadas por ele. Aline Queiroz Pereira, que seria moradora de Ilha Solteira, também era passageira. A esposa e o filho do condutor do caminhão sofreram apenas ferimentos leves, de acordo com a Polícia Rodoviária Federal, que atendeu a ocorrência.

Os comerciantes transportados pelo veículo utilitário se dirigiam ao Paraguai para comprar mercadorias. Já o caminhão estava carregado com carne, cujo destino e origem não foram informados. 

CARBONIZADOS
O acidente aconteceu por volta das 3h. Segundo informações da Polícia Rodoviária Federal, os veículos bateram de frente. As marcas de frenagem deixadas no asfalto indicam que o motorista da van tentou desviar do caminhão que vinha no sentido contrário e teria invadido a pista. Após a colisão, a van pegou fogo, permitindo que apenas dois cadáveres fossem reconhecidos.

Os demais corpos carbonizados começariam a ser enviados na noite de terça para o IML (Instituto Médico Legal) de Campo Grande (MS) onde aguardarão o fornecimento de material genético de familiares para a identificação. De acordo com a Polícia Civil de Nova Andradina, o IML local não tem infraestrutura para receber os cadáveres. Os restos mortais só devem ser liberados quando todos os passageiros forem reconhecidos. Os laudos devem ficar prontos em aproximadamente dez dias.

FAMÍLIA
O araçatubense que morreu no acidente deixou a esposa, de 22 anos, e dois filhos, de seis meses e oito anos. A dona de casa Rosângela Aparecida Gonsalvez, de 44 anos, mora próximo à casa onde Pereira vivia até recentemente, no bairro Planalto, em Araçatuba. Ela conta que os amigos do bairro planejam homenagens para o funeral. 

"Ele sempre estava por aqui nos finais de semana e vivia jogando bola com os amigos de infância. Vi este menino nascer e crescer e por aqui e ele era muito querido por todos. Vamos mandar fazer 25 camisetas com uma foto dele, além de colocar uma bandeira do Santos sobre o caixão", disse Rosângela. Uma irmã de Pereira viajou na terça para Nova Andradina para ajudar no reconhecimento. O velório ainda não tem data para acontecer. 

A Prefeitura de Três Lagoas decretou luto oficial de três dias e colocou o ginásio da cidade à disposição para uma cerimônia fúnebre coletiva. 

Compartilhar:

Veja Mais