Tamiko assina Protocolo de Intenções em busca de novas tecnologias para o gerenciamento dos resíduos sólidos

Fonte: Da redação com Assessoria de Imprensa, em20/12/2019

Assinatura aconteceu na Secretaria Estadual de Infraestrutura e Meio Ambiente com o secretário Marcos Penido - crédito: Secom/Prefeitura

A prefeita Tamiko Inoue assinou, nesta última terça-feira (17), na Secretaria Estadual de Infraestrutura e Meio Ambiente, o Protocolo de Intenções visando apoio técnico para diagnóstico e escolha de tecnologias inovadoras que vão de encontro a sustentabilidade ambiental do gerenciamento dos resíduos sólidos para Andradina e mais 17 municípios pertencentes ao (Consórcio Intermunicipal do Extremo Noroeste de São Paulo).

Tamiko participa do marco histórico que aconteceu, na capital paulista, ao lado do secretário estadual de Meio Ambiente, Marcos Penido, do prefeito Otávio Gomes (DEM), presidente do Ciensp, e de outros líderes do executivo da região.

Segundo explica Tamiko, o Governo do Estado de São Paulo está empenhado em pesquisas para adoção de tecnologias sustentáveis, onde o lixo deixará de ser enterrado e passará a ser utilizado como fonte de geração de energia.

“A intenção da administração estadual é obter resultados de países de primeiro mundo, com alavancada qualidade ambiental tecnológica rumo a sustentabilidade da nossa região, ganhando em escala na qualidade de vida e saúde pública”, ressalta a prefeita.

Segundo explica o secretário municipal de Meio Ambiente, Claudio Gotardo, os municípios já possuem aterros licenciados usando a tecnologia de “enterrar lixo em valas/células”, que atende as normas ambientais vigentes.

 “Estamos buscando o avanço nesta área e pensando nas próximas gerações. Os municípios vêm renovando suas licenças a cada 5 anos, porém todos os prefeitos estão em coro para uma conquista audaciosa em viabilizar um aterro regional com uma tecnologia mais sustentável”, destaca Gotardo.

Gotardo ressalta que foi iniciada tramitação necessária para o apoio técnico rumo a conquista de um aterro mais tecnológico e sustentável. “A intenção é eliminar a prática de ‘enterrar lixo’, que cria passivos ambientais e pode oferecer riscos de contaminação do solo, lençóis freáticos e ar. Essa nova tecnologia também é uma fonte de geração de empregos e energia alternativa”.


Compartilhar:


Veja Mais