“Andra Afro” marca Dia da Consciência Negra em Andradina

Fonte: Da redação com Assessoria de Imprensa, em22/11/2019

MUDANÇAS DE HÁBITOS, VÍCIOS E SAÚDE: Hipnose Clínica: atendimento em Andradina (SP).

“Emocionante, marcante, e de arrepiar”, foram os comentários durante e após o Andra Afro realizado pela Secretaria de Promoção a Cidadania e Direitos Humanos do Governo de Andradina na noite da última terça-feira (19) no Centro Cultural.

Com a presença da prefeita Tamiko Inoue e teatro lotado as apresentações do Projeto Nasce, Guri, Grupo Reborn Dance Studio e do violinista nigeriano, Eusebius Chika, fizeram todos dançar, cantar e até chorar de emoção no sentido mais profundo da homenagem ao Dia da Consciência Negra.

“Espetacular. A noite foi tocante do início ao fim. Quero cumprimentar a organização, aos artistas, jovens, crianças, familiares e população em geral que compareceu e abrilhantou ainda mais nosso evento”, agradeceu Tamiko ao se declarar encantada com o capricho e talento dos participantes.

Alunos da escola Alice Marques apresentaram uma poesia de Amya Angelou, “Mulher Fenomenal” em inglês e português, a música “I belivie i canfly” e ainda um musical de hip hop “Consciência na pele e na lama”.

O Projeto Nasce trouxe danças étnicas com as professoras Denisy Barsante, Jéssica Ruiz e ainda uma roda de capoeira com o mestre Tatau acompanhados pelo coordenador Daniel Romalício.

Rebourn Dance Studio impactou positivamente a plateia com danças urbanas e afro dance ao som das músicas Bantú, Descendência e para completar uma performance solo “Namastê”.

Ana Beatriz e Carol dos Anjos, de tradicional família afro-descendente do município acompanhadas pelo atabaque de Manoel Messias de Almeida cantaram em homenagem a data e luta dos andradinenses em especial.

Os alunos do coral do Projeto Guri “incendiaram” a alma e o coração dos presentes contagiando a todos com um medley com a temática “O Rei Leão” sob regência do maestro Junior Abreu.

O diferencial da noite ficou por conta do violinista Elsebius Chika, bolsista nigeriano estudante de música no estado do Mato Grosso do Sul, que contou com apoio de tradução realizada pela professora de inglês, Valéria Cavalcante, que apresentou grandes sucessos de gosto mundial como “Aleluia” e o tema do filme Titanic, My Heart Will Go On, entre outras. “Estou emocionado, me fez ter saudade de casa, tamanha a qualidade das coreografias e canções, me identifiquei”, comentou.

O grupo da velha guarda do Movimento Negro atuante em Andradina a mais de quarenta anos finalizou com canções afro-brasileiras, com movimentos e cumprimentos genuinamente africanos. Logo após a exibição de um vídeo institucional sobre o tema, encerrando com chave de ouro o evento cultural.

O secretário da pasta, Fabrício Carvalho esteve acompanhado da coordenadora da Igualdade Racial, Lucinéia Pereira, da presidente do Conselho Municipal do Negro, Roberta Aparecida de Oliveira (organizadores do evento) ao lado das secretárias de Educação, Lucilene Novais, de Cultura, Marinalva Pereira, de Desenvolvimento, Jane Martins e da diretora do Alice Marques, Claudia Cristina entre outras autoridades.

“Estamos sem palavras para agradecer a todos que colaboraram para a realização do Andra Afro 2019. Simplesmente estamos maravilhados com este acontecimento que se tornou nosso evento que ficará gravado na memória de todos, em mais um ‘grito’ de conscientização e respeito a esse povo que tanto contribuiu para a construção e identidade de nosso país”, disse Fabrício.


Compartilhar:

Veja Mais