Jamil vai encaminhar ofício com pleitos dos técnicos da Fazenda Estadual

Fonte: Da redação com Assessoria de Imprensa, em26/08/2016

Jamil com técnicos do Posto Fiscal do município ligado ao SITESP (Sindicato Dos Técnicos da Fazenda Estadual – São Paulo) . Foto: Divulgação/Prefeitura

LEITOR ANDRAVIRTUAL TEM DESCONTO ESPECIAL: O milagre da manhã com super desconto!

O prefeito Jamil Ono (PT) recebeu, na tarde desta sexta-feira (26,) em seu gabinete técnicos da Fazenda Estadual (Posto Fiscal) do município ligados a SITESP (Sindicato dos Técnicos da Fazenda Estadual – São Paulo).

O grupo veio pedir ao prefeito Jamil que encaminhe até o governador Geraldo Alckmin (PSDB) os pleitos aprovados em AGE (Assembleia Geral Extraordinária) com vista para encerrar a greve geral deflagrada no dia 11 de julho. Jamil já se prontificou a entregar o oficio como prefeito líder da sua região administrativa.

Estiveram presente na reunião Magali Rosangela Teixeira Sequini, Antonio Galante Filho, Maria Madalena Vicente M. Beraldi, Regina Célia Paulino, Roseli Bezerra de Araújo, Elza da Silva Pinto Modesto, Eliana Aparecida Abrantkoski Hidalgo e Elza Modesto.

São três principais pleitos pela carreira: Aprovação e publicação de minuta do rol de atribuições da carreira elaborado conjuntamente entre SITESP (Sindicato dos Técnicos da Fazenda Estadual), e SINAFRESP (Sindicato dos Agentes Fiscais de Rendas);  Implementação de reajuste da tabela de vencimentos da carreira proposto  pela SEFAZ em 2012,da ordem de 44% (quarenta e quatro),e não efetivado até o momento, conforme comprovado através das copias de ofícios elaborados através  da Casa Civil e enviados ao SITESP no decorrer de 2015 e o Reestabelecimento do nível superior de escolaridade da carreira, considerando que em processo de reestruturação da carreira aprovado através da LC n° 700/92, houve provimento derivado, contrariando o Art. 37 da CF/88, resultando em ato inconstitucional.

Os técnicos salientam que os Postos Fiscais do Estado de São Paulo se encontram em greve a mais de 40 dias, fato que é prejudicial à população em geral que tanto necessita dos serviços prestados.  Acompanhou também o Ouvidor Público, Nelson Modesto.

Compartilhar:

Veja Mais